OS ÚLTIMOS BATONS DE SUPERMERCADO QUE COMPREI

Quem me conhece sabe que, de toda a maquilhagem que temos ao nosso dispor, nutro um carinho especial por batons. São um produto que, na minha opinião, diferencia toda a maquilhagem e nos dá logo outro toque mais arranjado e composto, mesmo não utilizando muitos produtos. Aliás, este é o produto que utilizo mais regularmente, seja num tom mais vibrante como um vermelho vivo ou num tom mais discreto, como um gloss sem cor ou um nude.

Portanto, quando passei por uma drogaria em Lisboa e vi estes três batons com cores tão bonitas e diferentes daquilo que tinha, de marcas conceituadas dentro daquelas definidas como drugstore brands como a L'Oréal e a Maybelline, ao preço da chuva - preços que variavam entre os 3€ e os 3,50€ -, soube que tinha que os trazer para casa comigo. Hoje, trago-vos então a minha opinião sobre os três, depois de algumas experiências.



Começo pelo batom que me conquistou desde a primeira vez que o testei. Quando comprei o Collection Exclusive na cor Eva's Pure Red da L'Oréal, pensava que tinha adquirido um rosa velho bem escuro, uma cor que me faltava na minha pequena coleção. Quando cheguei a casa e abri o batom, vi que estava enganada. Num vermelho escuro e com micro brilhantes dourados na sua constituição, este batom é o ideal para quem não se sente corajoso o suficiente para utilizar um vermelhão mas ainda quer um toque de cor nos seus lábios. Com uma boa pigmentação e confortabilidade na utilização, é um batom matte e como tal dura bastante tempo nos lábios.

 Onde encontrar: em todas as superficies comerciais por 17,50€.

Contrariamente ao batom mencionado acima e ao que promete, o Vivid Matte Liquid Lipstick na cor 35 Rebel Red da Maybelline é tudo menos matte. Muito confortável, extremamente pigmentado e de um vermelho vivo e muito bonito, é um batom líquido que deixa um efeito aveludado nos nossos lábios mas que, infelizmente, não dura quanto nós quereríamos. Com uma passagem conseguimos cobrir os nossos lábios todos de uma forma uniforme, o que é a principal vantagem deste produto.

Onde encontrar: em todas as superfícies comerciais por 7,99€.

De todos, o Lip Paint Lacquer na cor 107 Dark River da L'Oréal foi aquele que menos gostei. Apesar de ter uma cor muito bonita que, quando aplicada no braço é totalmente opaca, nos lábios é difícil de trabalhar e não é, de todo, uniforme - são precisas mais do que 2 camadas para obter um tom roxo escuro minimamente uniforme, uma vez que se acumula em determinadas zonas da nossa boca. Tem uma duração de 2 a 3 horas sem comer, o que seria de esperar de um gloss cremoso.

Onde encontrar: em todas as superfícies comerciais por 9,99€.

Qual foi a vossa cor favorita? Quais são as vossas marcas de supermercado favoritas?

RECOMEÇAR EM SETEMBRO

Sempre associei o mês de Setembro ao início de um novo ciclo. Talvez porque é neste mês que começa um novo ano lectivo, para o qual temos que traçar novos objetivos e no qual temos que alterar os nossos comportamentos que possam ser prejudiciais para o nosso desempenho, tanto a nível pessoal como profissional.

Como devem ter reparado, o mês de Agosto foi um mês parado por aqui. Esta espécie de pausa não se deu de forma propositada, mas porque necessitava de uma pausa na correria que é a preparação de publicações, a divulgação e todo o constante exercício mental para a criação de conteúdo diferente, do qual me orgulhe. Este mês deu para refletir naquilo que quero fazer, nos rumos que quero tomar quanto a este cantinho e que não quero, de todo, parar de escrever.

Portanto, e como forma de iniciar o novo ciclo que Setembro traz com os seus ventos, abro este mês a recordar o mês que passou e no qual estive mais desaparecida, para que possam acompanhar um pouco aquilo que se passou durante os tempos em que eu não andava por cá. Através do meu Instagram, @myownanatomy, trago-vos uma espécie de memories log daquilo que foi o meu querido mês de Agosto.


Comecei o mês a recordar os dias de viagem de Julho, por Lisboa. A viagem ao Cabo da Roca - o ponto mais ocidental da Europa continental -, um local que me surpreendeu pela positiva pela calma, beleza e serenidade que transmite; a passagem pelo Palácio da Pena, do qual vos falei AQUI, num bonito dia de nevoeiro. A minha primeira vez no LX Factory, um espaço encantador, inovador e muito "fora da caixa" - um excelente local para almoçar ou para tomar uma bebida -, na qual encontramos a Ler Devagar, uma livraria muito gira que nos deixa a suspirar por uma biblioteca assim na nossa casa. E, num dia de calor, recordei ainda os tempos mais frios e o meu passeio pela minha cidade natal, Viseu, do qual vos falei AQUI.


Avançando para o mês de Agosto em concreto, este começou no acampamento nacional de escuteiros, o ACANAC, no qual passei 8 dias entre pó, calor e 22 mil pessoas mas no qual aprendi muito sobre este grande movimento que é o escutismo e no qual formei grandes amizades - uma experiência inesquecível, sem dúvida. Depois desta grande atividade, seguiram-se dias calmos, principalmente na vila onde moro, nos quais aproveitei para descansar e repor as energias, passar algum tempo com amigos de infância. A meio do mês fui acampar com alguns amigos durante 2 dias e passeei por entre festas religiosas em família.


Acabei este mês mais do que incrível da melhor forma - em família. As festas na terra da minha mãe , no coração da Serra da Estrela, são algo do qual raramente prescindo e que me dá a força para começar o novo mês da melhor forma. O contacto com a natureza através das paisagens de cortar a respiração, com as pessoas que me desejam o melhor que há no mundo e a falta de exposição a tudo o que nos rodeia, especialmente nas redes sociais, fazem com que este seja o final perfeito para um mês de descanso. 


Resumindo, o mês de Agosto foi um mês muito agradável, que começou de uma forma explosiva e acabou da mesma forma - em festa. Se era um mês que não me agradava especialmente - talvez pelo calor que se faz sentir todos os anos natural desta época do ano -, passou a ser um mês que recordarei com carinho durante os meses mais frios e nos dias mais stressantes.

Como foi o vosso mês de Agosto? Já seguem o My Own Anatomy pelo Instagram?

A MENTE SOBRE O CORPO

Quando fui convidada a participar no Beauty Beyond Size, um projecto criado pela linda Sónia do She Writes que tem como principal objectivo a promoção do amor próprio e da aceitação corporal, sabia que tinha que participar, de alguma forma que me fosse muito próxima e pessoal. Depois de partilhar a minha história aqui, não sabia aquilo que poderia acrescentar a uma temática que, para mim, é uma luta diária a nível psicológico. Foi aqui que me apercebi daquilo que ficou menos bem explorado nessa publicação e que, portanto, queria falar: a forma como o nosso pensamento influencia a forma como nos vemos.


A primeira vez que olhei para as fotografias ilustrativas desta publicação, ainda no mostrador da câmara fotográfica e num tamanho bastante reduzido, achei que estavam incríveis. Era das poucas vezes que me via de fato-de-banho, em fotografia, e que adorava o resultado. Sentia-me mesmo bem comigo e com o meu corpo! Mas, assim que cheguei a casa e comecei a olhar de novo para as fotografias, comecei a ver todos os defeitos que elas tinham - a celulite no rabiosque que tende a não desaparecer, a barriga proeminente, as gorduras localizadas, as coxas interiores demasiado grandes, as minhas olheiras, etc - e todos estes defeitos consumiram a minha visão das fotografias. Já não conseguia olhar para elas e sentir-me bem e, consequentemente, já não conseguia sentir-me bem com o meu corpo.


Este é um pequeno exemplo daquilo que é a minha vida todos os dias. Uma inconstância de pensamentos e emoções. Num momento, uma bomba latina. Noutro momento, um saco de batatas. Isto numa questão de segundos e sem nenhuma razão em especial - por influência da amiga que é mais jeitosa do que eu, de uma palavra que foi mal interpretada ou de uma fotografia de uma qualquer rapariga em biquíni que vejo enquanto faço scroll no instagram

Tudo porque o meu cérebro funciona como uma bomba-relógio, pronta para explodir a qualquer momento. A minha mente sempre controlou a cem por cento aquilo que eu vejo no espelho - apesar da minha figura não mudar de um dia para o outro, aquilo que se reflete muda e, nos meus piores dias, a imagem distorcida de um corpo maior do que é na realidade aparece no espelho - e, portanto, também o meu amor-próprio se altera de acordo com aquilo que estou a sentir no momento.


Não tenho, de todo, amor-próprio para dar e para vender. Se pudesse metaforizá-lo, diria que é uma chama dentro de mim pronta para acender uma fogueira, mas só precisa de um bocadinho mais de atenção e carinho. E é esse carinho, essa atenção para a qual estou a alertar-vos hoje.

Uma boa mente saudável deve ser a vossa maior prioridade. Porque, a partir daí, conseguimos conquistar o mundo. A partir do momento em que deixa de existir a tal bomba-relógio na vossa cabeça, conseguirão focar-se muito melhor nos vossos objetivos e ficarão muito mais motivados para se tornarem a melhor versão de vocês mesmos - involva esta versão emagrecerem, engordarem ou manterem-se iguais. O que importa é que se sentirão bem com aquilo que escolherem fazer e que, independentemente do resultado final do vossso percurso, aquilo que vos é dado e com que partem para esta caminhada é algo bom, algo que vocês consideram bonito.


Não é o valor na balança que define aquilo que nós somos. É a nossa força mental que define o que somos. Se eu acreditar que estou bem como sou, que sou bonita e que está tudo bem com o meu corpo, então está tudo bem com o meu corpo. Está na altura de aceitarmos aquela gordura localizada, as olheiras mais profundas, as estrias, as sardas - as pequenas falhas que fazem de nós aquilo que nós somos. Se fossemos todos iguais, o mundo seria um lugar muito aborrecido. Há que celebrar a variedade e a diversidade. Temos que deixar de apoiar as outras meninas na sua jornada de amor-próprio e, simultaneamente, inferiorizarmo-nos. Há que caminhar com elas, não na direção contrária.

Este é um processo que exige tempo e que não se consegue de um dia para o outro, claro. Apesar de vos estar a aconselhar, também eu estou a tentar mudar a forma como vejo o meu corpo e a forma como trato o mesmo. Temos que treinar o nosso cérebro a ignorar os pensamentos negativos, os tais "defeitos", ensinar-lhe que aquilo que aparece refletido no espelho são vocês, que é muito bonito e que vale a pena. Evitem a auto-depreciação, as pessoas que trazem más energias para a vossa vida e rodeiem-se de quem vos quer ver bem. Escolham um mantra cheio de positivismo e repitam-no até acreditarem naquilo que ele diz. Afinal de contas, só temos este corpo e temos que o estimar da melhor maneira possível.


Achei que a melhor forma de celebrar esta mudança de pensamento, ou este marco na minha caminhada rumo a uma mente que transborda de amor próprio seria mesmo partilhar estas fotografias com este fato-de-banho lindo que me foi enviado pela Zaful - que podem encontrar AQUI - e que me levaram a escrever esta pequena reflexão. Com bastantes defeitos e com algumas coisas que gostaria de ter alterado mas que, no final de contas, são parte de mim.

Quem está comigo nesta caminhada rumo ao amor-próprio?
Com tecnologia do Blogger.
My Own Anatomy © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.